Cigarro e derrame cerebral: qual a relação?

Voltar

O cigarro é comumente ligado a casos de câncer, impotência sexual e problemas respiratórios. O que muitas pessoas desconhecem é que ele também faz com que o fumante se torne um forte candidato a ter um derrame cerebral ou AVC (acidente vascular cerebral).

O AVC acontece quando há alguma falha na circulação sanguínea. No geral, podemos citar duas causas de AVC. Uma é quando há um sangramento e recebe o nome de: Acidente Vascular Hemorrágico. Esse sangramento ocorre pelo rompimento de um vaso sanguíneo, causado por um problema de coagulação, por hipertensão arterial ou por traumas. Pode acontecer em pessoas de qualquer idade e a evolução é bastante complicada.  A outra causa é quando o fluxo sanguíneo é, de alguma maneira, bloqueado, gerando um Acidente Vascular Isquêmico. É o que acontece com mais frequência em pessoas que fumam, têm diabetes, colesterol alto, problemas vasculares e hipertensão arterial.  A obstrução leva a falta de circulação em uma parte do cérebro e consequentes lesões.

Como o cigarro causa acidentes vasculares?

Na verdade o cigarro faz mal a vários pontos do organismo que podem levar o indivíduo a ter um AVC. Um dos danos causados pela nicotina é o aumento da pressão arterial, uma das causas do acidente vascular. O cigarro também está associado ao acúmulo de gordura em uma artéria que recebe o nome de carótida. Ela está localizada no pescoço e quando há o acúmulo de gordura nela, acaba ocorrendo o entupimento e, consequentemente, o AVC.

O cigarro também diminui o transporte de oxigênio pelo sangue. Isso acontece por que, ao fumar, a pessoa aspira monóxido de carbono – CO. Esse CO se liga às oxi-hemoglomina, que são as responsáveis por carregar o oxigênio por todo o corpo. Quando ele faz essa ligação, ele ocupa o lugar que era do oxigênio, ou seja, ao invés de circular o O2, circula o CO no sangue, o que é maléfico ao organismo.

Estima-se que quem fuma um maço de cigarros por dia tem 17 vezes mais risco de ter um AVC quando comparados a não fumantes ou a indivíduos que venceram o vício. Já quem fuma mais de 20 cigarros diariamente aumenta essa chance para 24 vezes a mais do que quem não fuma.

O uso do cigarro acelera o envelhecimento de artérias devido ao depósito de colesterol e a formação de placas ulceradas. Como consequência, ocorre a estenose e/ou a trombose. Também colabora para a formação de placas de gorduras e de tecido fibroso nas artérias das extremidades inferiores, causando o que se chama de ateroma.

Parar de fumar adianta?

Sim! Parar de fumar, mesmo que você já tenha esse vício há muito tempo, é a melhor escolha. Embora nem todas as lesões causadas possam se recuperar, pouco a pouco o seu organismo vai desintoxicando e a qualidade da sua saúde melhorando. A boa notícia é que as pessoas estão cada dia mais conscientes dos males e dos riscos trazidos pelo cigarro e o número de ex-fumantes cresce continuamente.

Porque parar de fumar?

Sua saúde em primeiro lugar, o cigarro é um veneno para o organismo, e nosso tratamento pode lhe auxiliar nessa batalha. pré avaliação clínica